Questo sito utilizza cookie tecnici, analytics e di terze parti.
Proseguendo nella navigazione accetti l'utilizzo dei cookie.

Preferenze cookies

Messy Studio Lisboa e projeção do documentario “Alpi” com a presença do realizador Armin Linke

MESSY-STUDIO-LISBOA

Apresentação do Messy Studio Lisboa e projeção do documentário “Alpi” (2011, 60′), com a presença do realizador Armin Linke, organizada pela Trienale de Arquitectura de Lisboa e pelo Instituto Italiano de Cultura de Lisboa.

Sábado, 13 de abril de 2024, às 18h30
Auditório del Museu Nacional de Etnologia
Av. da Ilha da Madeira (Belém) – Lisboa

Entrada livre até lotação da sala. Encontro em inglês.

Messy Studio Lisboa é a primeira sessão de apresentação em Portugal da próxima edição da Trienal de Arquitectura de Lisboa (2 de outubro – 8 de dezembro de 2025), com a curadoria de Territorial Agency, fundada pelos arquitectos John Palmesino e Ann-Sofi Rönnskog que estarão presentes na sessão de Lisboa.

Messy Studio Lisboa é um encontro de personalidades de referência na arte, filosofia, geologia, economia, arquitectura e urbanismo que reúnem-se para explorar a nova dimensão planetária dos espaços humanos contemporâneos. Este encontro confronta múltiplos pontos de vista disciplinares para idealizar caminhos para uma transformação da tecnosfera que seja de alta energia e elevada reciclagem.

Entre os participantes assinalam-se Francesca Bria, John Palmesino, Ann-Sofi Rönnskog, John Tresch, Jan Zalasiewicz, Lucia Pietroiusti.

SINOSSI: “Alpi é o resultado de sete anos de investigação sobre as percepções contemporâneas da paisagem dos Alpes, justapondo lugares e situações nos oito países limítrofes e abrangendo os territórios de quatro línguas diferentes. No filme, os Alpes são tratados como uma ilha que está ligada a várias transformações globais. Fizemos várias viagens à região alpina, que ironicamente nos conduziram ao Dubai. O filme mostra os Alpes como local-chave, devido à sua delicadeza e importância ambiental, onde se podem observar as complexas relações sociais, económicas e políticas. Na Europa contemporânea, a cordilheira, símbolo de um imaginário turístico, é um viveiro das promessas da modernidade e das suas ilusões.” Armin Linke

O filme, resultado da investigação do realizador Armin Linke e do arquiteto e antropólogo trentino Piero Zanini, teve uma longa fase de produção e foi precedido por uma versão “in progress” que ganhou prémios na Bienal de Arquitetura de Veneza e no Festival de Cinema e Arquitetura de Graz. Em particular, “Alpi” centra-se no local onde as actividades humanas, encontrando-se com as montanhas, geram uma espécie de fricção cujas faíscas reverberam também a nível imaginário.

O artista aborda este paradoxo aprofundando dois temas: por um lado, a análise da representação dos Alpes, ou seja, como são contados aos outros em sítios turísticos, publicidade, museus, modelos abstractos de cientistas, mas também na construção identitária dos seus habitantes, como lugar de práticas milenares, como a transumância, ou de antigos ritos religiosos, como as peregrinações; por outro lado, como os Alpes são habitados, ou seja, como lugar de residência permanente, de estadia temporária, de trabalho ou de recreação turística e desportiva.

Armin Linke (n. 1966, Milão) é um fotógrafo e cineasta que combina uma série de tecnologias contemporâneas de processamento das imagens para atenuar a fronteira entre ficção e realidade. Linke investiga a formação – a chamada Gestaltung – do ambiente natural, tecnológico e urbano em que vivemos. A obra de Armin Linke – fotografias e filmes – funciona como ferramenta para tomar consciência das diferentes estratégias de design.
Através do trabalho com o seu próprio arquivo, bem como com arquivos de outros meios de comunicação, Linke desafia as convenções da prática fotográfica, pelo que as questões de como a fotografia é instalada e exibida se tornam cada vez mais importantes. Numa abordagem colectiva com outros artistas, bem como com curadores, designers, arquitectos, historiadores, filósofos e cientistas, as narrativas das suas obras expandem-se ao nível de múltiplos discursos.
Linke foi investigador no MIT Visual Arts Program, professor convidado na Universidade IUAV Arts and Design, em Veneza, e professor de fotografia na Karlsruhe University for Arts and Design.
Atualmente, Armin Linke é professor convidado no ISIA, Urbino (IT) e artista em residência no KHI Kunsthistorisches Institut, em Florença.

  • Organizzato da: Treinal de Arquitetura de Lisboa, Istituto Italiano di Cultura