Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao continuar a navegar no nosso site está a aceitar a sua utilização. OK

Apresentação do livro FILIPPO JUVARRA, DOMENICO SCARLATTI

Data:

25/05/am


Apresentação do livro FILIPPO JUVARRA, DOMENICO SCARLATTI

Apresentação do livro FILIPPO JUVARRA, DOMENICO SCARLATTI e il ruolo delle donne nella promozione dell’Opera in Portogallo, coordenado por Giuseppina Raggi e Luís Soares Carneiro, publicado pela Editoriale Artemide com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

O livro será apresentado pelo escritor, músico e docente universitário Jorge Vaz de Carvalho.

Intervêm Joaquim Oliveira Caetano, diretor do Museu Nacional de Arte Antiga e Stefano Scaramuzzino, diretor do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa.

Filippo Juvarra, arquiteto, urbanista e cenógrafo (1678-1736) e Domenico Scarlatti, compositor e cravista, (1685-1757) viveram na corte de Lisboa alguns dos momentos mais intensos das suas carreiras artísticas. Porém, a experiência em Portugal é a parte menos conhecida das suas biografias. Neste volume foi reconstruído o que estava em falta, trazendo à luz a importância da política cultural promovida pela corte feminina portuguesa e, em particular, pela rainha Maria Ana de Áustria (1683-1754), consorte do rei D. João V de Portugal (1689 - r. 1707 – 1750).
Desta forma nasceu uma nova visão sobre a colaboração de Filippo Juvarra e Domenico Scarlatti, que encontra no teatro de ópera setecentista o campo de convergência privilegiado. As relações históricas, artísticas e musicais entre Lisboa, Turim, Roma e Madrid enriquecem-se pelos dados inéditos apresentados, que permitem contextualizar, também, dois enigmáticos projetos de edifícios teatrais de Filippo Juvarra destinados, respetivamente a Lisboa e a Turim. A abordagem transdisciplinar que caracteriza os ensaios aqui reunidos beneficiou das contribuições de especialistas em diferentes áreas de pesquisa (arquitetura, música, história, arte, teatro, cenografia), incluindo também o âmbito das tecnologias digitais e a colaboração criativa com músicos, realizadores e roteiristas (textos de Andrea Merlotti, Concepción Lopezosa Aparicio, Cristina Fernandes, Diana Blichmann, Giuseppina Raggi, Iskrena Yordanova, João Neves, José Pedro Sousa, José Sasportes, Luca Alverdi, Luís Soares Carneiro, Massimiliano Ferraina, Massimo Mazzeo, Nohelia González, Walter Rossa).

Giuseppina Raggi é historiadora de arte (PhD 2005), flautista e investigadora integrada do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (Portugal). Dedica-se ao estudo das relações entre arquitetura, quadratura e música em Itália e no mundo ibérico e ao mecenato feminino no século XVIII. Recentemente publicou o livro O projeto de D. João V. Lisboa ocidental, Mafra e o urbanismo cenográfico de Filippo Juvarra (2020) e co-coordenou o volume Theatre Spaces for Music in 18th-Century Europe, com I. Yordanova e M. I. Biggi (2020).

Luís Soares Carneiro, arquiteto, é professor associado da Faculdade de Arquitetura e investigador do Centro de Estudos de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Porto (Portugal). Investiga e escreve sobre teatro, arquitetura e história. Publicou, entre outros textos, A Estranheza da Estípite. Marques da Silva e o(s) Teatro(s) de S. João (2010); Casas Ermas. Os Arquitectos Rebelo de Andrade e os Discursos do Moderno (2016); e Três Embaixadas Portuguesas: Londres, Madrid e Rio de Janeiro (2021).

Informações

Data: Qua. 25 maio 2022

Horário: Das 18:00 às 19:00

Entrada : Livre


Localidade:

Auditório do Museu Nacional de Arte Antiga, Rua das Janelas Verdes - Lisboa

1933