Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao continuar a navegar no nosso site está a aceitar a sua utilização. OK

Apresentação do áudio livro "Da selva negra ao Paraíso. Um percurso na Divina Comédia de Dante Alighieri em trinta e três línguas"

Data:

16/03/am


Apresentação do áudio livro

Apresentação do áudio livro "Da selva negra ao Paraíso. Um percurso na Divina Comédia de Dante Alighieri em trinta e três línguas", em colaboração com a Biblioteca Nacional de Portugal e o Teatro delle Albe de Ravenna.

O áudio livro foi concebido e produzido pelo Ministero degli Affari Esteri e della Cooperazione Internazionale, por ocasião das celebrações do sétimo centenário da morte de Dante Alighieri e publicato por Emons Audiolibri.

Terça-feira, 16 de Março de2021 às 18h30 (horário de Portugal) às 19h30 (horário de Itália) através da plataforma ZOOM prévio registo ao seguinte link: https://apportugal.zoom.us/webinar/register/WN_9vIqFTuoS7SgSvsDkglsiQ

Logo a seguir, após o registo, irá receber um e-mail com o link para aceder diretamente ao encontro no ZOOM.

Para a transmissão em direto no Facebook é suficiente ir para a página Facebook do IIC: https://www.facebook.com/iic.lisbona/

Com a participação de Marco Martinelli e Ermanna Montanari fundadores e diretores artísticos do Teatro delle Albe de Ravenna que interpretaram a versão italiana e dos atores Elmano Sancho e Beatriz Godinho que interpretaram, juntamente com João Vicente, a versão portuguesa.

Modera o jornalista Marcello Sacco

Marco Martinelli recebeu vários prémios a nível nacional e internacional, entre os quais sete prémios Ubu (encenação, dramaturgia, pedagogia), Golden Laurel-Mess Festival de Sarajevo, Prémio Hystrio, Prémio Enriquez de realização, Prémio de carreira Journées théâtrales de Cartago. Assinou mais de cinquenta encenações e os seus textos foram publicados e encenados em Itália, França (selecionados por Face à Face e Fabulamundi), Bélgica, Alemanha, Roménia, Eslováquia, Chile, Rússia, Brasil e Estados Unidos (selecionados por Italian & American Playwrights Project). À sua atividade dramatúrgica é dedicada a monografia Marco Martinelli Un Drammaturgo Corsaro, de Maria Dolores Pesce, Editoria e Spettacolo. Martinelli é fundador da não-escola, um método de trabalho cénico com adolescentes que se tornou uma referência em Itália e em diversas partes do mundo, descrita no volume Aristofane a Scampia, Ponte alle Grazie Editore, publicado em França por Actes Sud. Estreou-se no cinema em 2017 com a longa-metragem Vita agli arresti di Aung San Suu Kyi – argumento assinado em parceria com Montanari, que é também a protagonista – reconhecida como de interesse cultura pelo MiBACT-Direzione Cinema, apoiada pela Film Commission-Regione Emilia Romagna, apresentado em antestreia no Biografilm Festival. Em 2018 escreveu e realizou a longa-metragem The Sky Over Kibera – argumento assinado em parceria com Montanari –, apresentada em antestreia no Filmmaker Festival, candidato pelo Júri dos Críticos do Social World Film Festival 2020 como Melhor Documentário e Melhor Argumento. Pelo projeto The Sky Over Kibera no Quénia dirigido por Martinelli, a Fondazione AVSI venceu o Prémio Voluntariado 2019 para a secção Cultura, conferido pelo Senado da República.

Ermanna Montanari recebeu prestigiados reconhecimentos a nível nacional e internacional, entre os quais sete prémios Ubu, Golden Laurel-Mess Festival de Sarajevo, Prémio O estrangeiro “dedicado à memória de Carmelo Bene, Prémio Eleonora Duse, Prémio da Crítica ANCT. Assinou com Martinelli e interpretou mais ed cinquenta espetáculos da companhia. Participou nos filmes Lacrymae de Maria Martinelli (1999 | 56ª Mostra Internazionale d’Arte Cinematografica di Venezia), Il mnemonista de Paolo Rosa (2000), L’ultimo terrestre de Gianni Pacinotti (2011 | 68ª Mostra Internazionale d’Arte Cinematografica di Venezia). Em 2011 assinou a direção artística do festival internacional de teatro de Santarcangelo. Escreve para revistas e, em 2017, publicou Miniature Campianesi (Oblomov). Em 2012 saiu, com direção de Laura Mariani, Ermanna Montanari fare-disfare-rifare nel Teatro delle Albe (Titivillus, ita/eng) e em 2017, com direção de Enrico Pitozzi Acusma Figura e voce nel teatro sonoro di Ermanna Montanari (Quodlibet ita/eng). Foram ainda publicados ensaios relativos à sua pesquisa vocal: E. Pitozzi em Culture Teatrali, M. Sciotto em Scenari, M. De Giorgi na Rivista Brasileira de Estudos da Presennça, D. Visone na Acting Archives Review, L. Van Goethem na Alternatives théâtrales e os CD de L’Isola di Acina e Ouverture Alcina (RT), La Mano (Luca Sossella Editore), Fedeli d’Amore (Stradivarius), obras realizadas com o compositor e músico Luigi Ceccarelli e Rosvita (Luca Sossella Editore).

Elmano Sacho Licenciado em Formação de Atores pela ESTC/Lisboa. Estudou na RESAD/Madrid, ECA-USP/Brasil, no CNSAD/Paris e na SITI COMPANY/NY.
Trabalhou com Jorge Silva Melo/Artistas Unidos, Carlos J. Pessoa/Teatro da Garagem, Carlos Avilez/TEC, Elsa Valentim/Teatro dos Aloés, Ensemble, Emmanuel Demarcy-Mota, Pedro Gil, Rogério de Carvalho, Ana Tamen, Miguel Abreu, Maria João Miguel, Paulo Lage, António Aguiar, Bruno Freyssinet, Barney O´Hanlon, Arthur Nauzyciel, Bruno Bayen/Comédie-Française), Jacques Allaire/Comédie-Française, Virgínio Liberti/Annalissa Bianco, Anne Bogart/SITI Company. No cinema e televisão trabalhou com Hugo Diogo, Jorge Silva Melo, Keren Ben Rafael, Odile Brook, Jerôme Cornuau, Valéria Sarmiento, Solveig Nordlund, Jorge Paixão da Costa, Benoît Jacquot, Sérgio Graciano, Yuri Alves, Francisco Manso, Cristèle Alves Meira, Marie Brand, Vicente Alves do Ó, João Cayatte e Marco Pontecorvo.
Foi nomeado melhor ator de Teatro para os Globos de Ouro com Não se Brinca com o Amor (2012), Herodíades (2013), A Estalajadeira (2014) e Display (2018) e para os SPAAUTORES com Não se Brinca com o Amor (2012), O Campeão do Mundo Ocidental (2014) e Lulu (2020). Estreia-se, como encenador, no monólogo Misterman, prémio de melhor ator da SPAAUTORES/2015. Em 2015, encena I Can´t Breathe, Menção Especial do Prémio da Crítica da APCT/2016. Foi bolseiro da DGLAB em 2018 com A Sagrada Família. Em 2018, recebe o prémio Mirpuri Carlos Avilez com A Última Estação.

Beatriz Godinho (Porto, 14 de Fevereiro de 1992) é uma atriz portuguesa. Começou desde cedo os seus estudos em Ballet Clássico - estudos que prosseguiu até à graduação vocacional pela Imperial Society of Teachers of Dance. Concluiu o curso de Interpretação da Academia Contemporânea do Espectáculo em 2010, onde recebeu um prémio atribuído pelo Ministério da Educação como Finalista com Melhor Média do Ano.
Frequentou a Academy of the Science of Acting and Directing, em Londres.
Licenciada pela Escola Superior de Teatro e Cinema desde 2015.
Estreou-se profissionalmente em 2010 e, desde então, acumulou um vasta experiência em teatro, tendo também participado em projetos de cinema e televisão desde 2014. Atualmente, reside em Lisboa.

 

A versão em língua portuguesa, realizada pelo Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, com a interpretação dos atores Beatriz Godinho, Elmano Sancho, João Vicente, encontra-se disponível gratuitamente nas plataformas Spreaker, Spotify, Deezer, Apple e Google.

Para a versão em língua portuguesa foi utilizada a tradução de Vasco Graça Moura por cortesia da ©Quetzal Editores e Herdeiros de Vasco Graça Moura 

Informações

Data: Ter. 16 Mar. 2021

Horário: Das 18:30 às 19:30

Organizado por : Istituto Italiano di Cultura

Em colaboração com : Biblioteca Nacional de Portugal, Teatro delle Albe di Ravenna

Entrada : Livre


Localidade:

Online sulla piattaforma Zoom e diretta pagina Facebook IIC Lisbona

1802